Assunto Pet

Como é ter um gato no apê

04:07 Raiany Guimarães 0 Comments



Olá, apazeiros, tudo bom com vocês? O post de hoje é para contar sobre a experiência de ter um gato em um apartamento tão pequeno. Para quem não sabe, eu tenho o Bonifácio, o Boni. Um lindo vira-lata preto, de olhos laranjas, que sou extremamente apaixonada e que já me deu diversos sustos nestes quase 7 meses de convivência. 

Sempre fui apaixonada por bichos e sempre tive gatos e cachorros ao meu redor. No começo, a intenção era ter um cachorro, mas o Lu achou melhor não e optamos por um gato. O Boni foi adotado. 

1º Dia – Reconhecimento do Ambiente
De todos os dias que você vai passar com um gato, este é o pior. É tudo novo para você e para ele. A primeira coisa que fiz quando cheguei com o Boni em casa foi mostrar para ele onde ficava a caixinha de areia. Dica importante: antes de trazer o gatinho para o Apê, já deixar um cantinho preparado para suas necessidades higiênicas. Depois ele foi desbravar a casa.

Claro que ele não foi de primeira ao banheiro, mas ele dava uma caminhada pela casa e lá estava eu pegando o bichinho e colocando dentro da caixinha. Sem sucesso, até o momento. O primeiro xixi e coco do Boni foram em cima da minha cama, para o meu desespero e do Lu, principalmente. Colocávamos ele toda hora na caixinha de areia, mas ele não ficava e isso durou pelos dois primeiros dias, até que entendi o que estava acontecendo. 

Ahhh, em nenhum momento eu esfreguei a carinha dele no xixi e no coco como forma de repreensão. Ele chegou em casa com 45 dias. Pegamos ele em um fds para passarmos dois dias inteiros com ele e ver como era seu temperamento e para ele não se sentir abandonado. É uma dica boa. 

2º Dia – Areia
Tínhamos comprado a famosa área cíclica, pois ela é um pouco melhor do que algumas que você encontra no mercado. Mas era eu colocar o Boni que ele saía ou comia as pedrinhas. Sem saber o que fazer recorri a um Pet Shop e comentei a minha dúvida com o dono. Ele contou que gatos ovinhos não se adaptam muito bem com este tipo de areia e que a convencional era a mais indicada. Ela é mais fininha e se assemelha com areia natural. E aí foi que trocamos a areia do Boni e colocamos algumas doses de Pipi Dog, um produto veterinário na areia, e ele nunca mais fez suas necessidades fora da caixinha.

Agora, com quase 7 meses de idade, colocamos a cíclica e ele está se adaptando muito bem. Esta areia não deixa odor no apartamento. Claro, que é preciso sempre retirar as fezes do gato todos os dias. Gosto bastante e a recomendo. Ela custa entre R$ 22 a R$ 25.

Janelas, só com redes de proteção
Eu cometi um erro muito grande acreditando e confiando na capacidade que o gato tem em perceber o perigo e, com isso, não tinha colocado as redes de proteção nas minhas janelas. Não cometam o mesmo erro que eu. 

Quando o Boni descobriu as janelas, descobriu da pior maneira possível, despencando dois andares abaixo. Graças a Deus ele só ficou em estado de choque e nada, mais nada mesmo aconteceu com ele.

Depois disso, falei que iria colocar e tudo mais, porém, ele não esperou e caiu de novo. Sim, podem me xingar e tudo mais. Desta vez a queda foi um pouco pior e ele se machucou. Fiquei assustada e com uma sensação de culpa terrível. Passamos o fim de semana de janelas trancadas, até o dia em que colocamos as redinhas de proteção. Foi um alívio.

É uma proteção para o gato e eu fico muito despreocupada quando ele quer dar uma olhadinha no mundo lá fora = )

Unhas
 Eles são fofos demais, mas têm unhas afiadas, que machucam e estragam móveis. O Boni tem um arranhador desde pequeno, o que ajudou muito a ele não querer ficar arranhando os móveis, mas isso não é 100% certeza que não vai acontecer. Hoje tenho que conviver de vez em quando com ele colocando suas unhas no sofá e na minha cama. Dou uma brigadinha com ele e já coloco o arranhador na sua frente. 



Outra solução que achamos foi comprar um alicate de unha e cortamos as garras do Boni a cada 15 dias. Eu recomendo. Só requer cuidado na hora de fazer a manutenção das unhinhas dos bichanos.

Castração
O Boni é um gato que passa a maior parte do seu tempo sozinho e dormindo. Nos primeiros meses quando chegava do trabalho notava que ele me mordia muito e comecei a notar que eram sinais de estresse. Me preocupei e já fui logo procurar ajuda. O veterinário do Boni indicou a castração e alguns florais. 

A castração só podia acontecer quando o Boni tivesse mais de cinco meses de idade, então, começamos o tratamento com florais homeopáticos. Não vi tanta melhora. Quando ele completou cinco meses fizemos a castração. E depois de quase dois meses da cirurgia, começamos a nota que ele anda mais calmo. 

O Boni está mais carinhoso, mas ainda adora dar suas mordidinhas. Ele já não brinca tanto e prefere ficar tirando suas longas sonecas e comer sua ração. Acho que ele está ficando adulto e isto facilita sua vida dentro de um apartamento pequeno, mas com muito amor <3 



Você também pode gostar:

0 comentários: